Tentativa de aspirar ao grande labirinto | Attempt to aspire to the great maze

video ; 22'1'' ; 2010 

O vídeo apresenta um passeio virtual por Metaesquemas de Helio Oticica transformados em projetos arquitetônicos digitais enquanto eu leio, com muita dificuldade, o texto Brasil Diarréia, de Oiticica. O destino de modernidade no Brasil depende da criação de uma linguagem artística que assuma posição crítica universal, “permanente e experimental”, afirma Hélio Oiticica. O artista diagnostica, no estado de coisas da cultura brasileira, uma tendência à estagnação e ao retrocesso, responsável pela diluição de movimentos radicais, revolucionários e construtivos, que não conseguem levar suas possibilidades às últimas conseqüências, daí a o termo “diarréia”. Um reacionarismo paternalista, uma “pureza abstrata” e um saudosismo moralista se concentram no que o autor chama de “convi-conivência”, ou a convivência conivente com os problemas ético-político-sociais do país, a ponto de impedir as visões de como é o Brasil “no mundo” e de “como ele é realmente”. Para vencer a “super paranóia, repressão, impotência brasileiras”, propõe-se a consciência não-conformista da “condição subdesenvolvimento”.

                                                                            ----------------------------------------------------------------------------------------------

 the video features a virtual tour through Helio Oticica’s Metaesquemas transformed into digital architectural projects, while the artist reads, with great difficulty, Oiticica’s text Brazil Diarrhea. According to Hélio Oiticica, the future of Brazilian modernism depends on the creation of an artistic language that can adopt a universal critical approach that is both “permanent and experimental.” His diagnosis of the state of Brazilian culture leads him to identify a tendency toward stagnation and regression, both of which are responsible for diluting radical, revolutionary, and constructive movements that are thus incapable of taking their ideas to their ultimate conclusions; hence his use of the term “diarrhea.” He sees a paternalistic reactionary trend, an “abstract purity,” and what he calls a state of “convi-conivência” (a play on words to describe a hypocritically complicit coexistence in the face of the country’s ethical and socio-political problems), which block any perception of how “Brazil is seen by the world” and “how it really is.” In order to overcome “Brazil’s super-paranoia, repression, and impotence,” Oiticica advocates a permanently nonconformist awareness of our “underdeveloped status.”