Ustra vive | Ustra lives

218-2019

grafite e aquarela sobre papel / watercolor and graphite on paper

“Ustra vive” é uma serie de aquarelas, na qual representa figuras humanas imobilizadas em um método de tortura brasileiro chamado “pau de arara”, esse método foi amplamente usado durante o período em que o Brasil estava sob uma ditadura militar instaurado em 1 de abril de 1964 e que durou até 15 de março de 1985. Em “Ustra vive” as traves usadas para atar as figuras se transformam em formas geométricas com perspectivas dúbias que confundem o olhar. Ustra foi um coronel, ex-chefe do DOI-CODI, um dos órgãos atuantes na repressão política, Em 2008, tornou-se o primeiro militar condenado pela Justiça Brasileira pela prática de tortura durante a ditadura. O titulo “Ustra vive” é um slogan utilizado pela extrema direita brasileira a partir de 2016, que pede a volta da ditadura militar.   

                                                                                    --------------------------------------------------------------------------

“Ustra lives” is a series of watercolors, which represent human figures immobilized in a Brazilian torture method called “pau de arara”, this method was widely used during the period when Brazil was ruled by a military dictatorship established on 1 April 1964 and which lasted until March 15, 1985. In “Ustra lives” the sticks used to tie the figures are transformed into geometric shapes with dubious perspectives that confuse the viewer. Ustra was a colonel, former head of DOI-CODI, one of the organs active in political repression. In 2008, he became the first military man convicted by the Brazilian Justice for the practice of torture during the dictatorship. The title “Ustra lives” is a slogan used by the current Brazilian extreme right, which calls for the return of the military dictatorship.